terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Correio web ou como usar bem a internet

Outro dia, algumas pessoas divulgaram no correio web este blog e o livro que acabo de lançar. Não sei quem foi, mas as agradeço publicamente e espero que o livro efetivamente satisfaça suas expectativas. Essa ocasião fez com que eu corresse os olhos no fórum do 25º concurso do MPF postado no site. Nunca postei nada no correio web, mas esporadicamente lia os fóruns. Acho que são importantes e se acaba aprendendo alguma coisa nesses espaços de troca de ideias. Todavia, observei que um mal que já existia nos fóruns na minha época de concurso vem se agravando cada vez mais: o excesso de besteiras. Em primeiro lugar, quem está estudando para concurso não pode passar mais que 15 minutos diários em um fórum na internet. É uma perda de tempo, cujo benefício não se estende para justificar os "ratos de fórum". E o pior é que os fóruns estão cada vez mais cheios de pessoas que não têm a mais mínima noção do que estão dizendo e se metem a dar aulas nos fóruns sobre o que fazer ou não fazer. Então, é preciso ler tudo com muito, muito critério. Por exemplo: o tópico de discussão relativo a bibliografia para o 25º concurso do MPF só tem utilidade se lido como indicação de bons livros. Isso porque o número de livros indicados é tão grande que é impossível - e inútil - ler todos. Apesar disso, vi um comentário menosprezando uma coautora do livro que lancei pelo simples fato de não ter lido "nem 40% da bibliografia indicada no tópico". Sinceramente, eu, que também sou Procurador da República e fui aprovado em 5º lugar, não devo ter lido nem 30%.

Como já escrevi inúmeras vezes neste blog, muito mais importante do que o quê você leu, é como leu e que absorveu dessa leitura. Ler um caminhão de livros ou estudar 20 horas por dia não vão fazer você passar. O que realmente vai fazer você passar é ler com concentração e ter a condição de responder qualquer pergunta sobre aquilo que você leu. O problema é que como estudar para concurso é fonte de pressão, as pessoas querem se justificar no número de livros lidos ou de horas na cadeira. Isso, entretando, pode até aliviar a consciência, mas não vai aprovar ninguém.

Em conclusão, a internet é uma ferramenta importante para o estudante de concurso, mas deve ser usada com muitíssima moderação e, especialmente, com senso crítico.

7 comentários:

  1. Perfeito. Confesso-lhe que, ao ler o tópico do correioweb relativo à bibliografia para o MPF,fiquei bastante assistado, pois, como o sr. bem definiu, é praticamente impossível ler tudo aquilo para um concurso. Levaria 20 anos.Exemplo: ler Zaffaroni para penal e tudo de dinamarco e barbosa moreira para processo civil! Não dá! Na verdade, fico bem desconfiado se aquilo não se trata, por parte de alguns, de um estratagema para intimidar outros possíveis candidatos.
    Agradeço-lhe muito as dicas, em especial pela franqueza e objetividade no que se refere à bibliografia necessária para essa prova.

    ResponderExcluir
  2. Quanto mais eu leio as postagens em seu blog, mais tentado eu fico em chamá-lo Professor. As orientações do senhor são excelentes e muito bem vindas. Obrigado por compartilhar tal conhecimento conosco

    ResponderExcluir
  3. Sempre vi com desconfiança essas indicações bibliográficas faraônicas postadas na internet. Agora com o testemunho do professor, digo, Dr. Edilson, cuja o sucesso e experiência em concursos nos brinda, está sepultado em definitivo essa mentira.

    ResponderExcluir
  4. Finalmente vejo uma opinião lúcida sobre o CW. Quando converso com colegas e exponho a minha opinião sobre o assunto, sinto-me como se fosse um ET. Embora lá tenha muita gente boa, que quer dividir boas ideias, acho que o correioweb virou um ponto de encontro de pernósticos. Fico imaginando como seriam muitos desses "servindo" ao público.

    Escolho um "Livro-texto" apenas, para as matérias menos importantes, e dois para as mais

    ResponderExcluir
  5. Doutor, a quem prefiro chamar de professor!

    Obrigada pelas dicas e orientações nos estudos.

    Grande abraço!

    Maria

    ResponderExcluir
  6. Não tem como não se sentir grata com as dicas dadas pelo sr, obrigada por compartilhar conhecimentos e experiências, OBRIGADA e espero um dia agradecer pessoalmente no MPF.

    :)

    ResponderExcluir